pet
pet

VOCÊS SABIAM QUE OS ANIMAIS CONSEGUEM MESMO PREVER TERREMOTOS?

Por Renata Scarpa
Fotos Divulgação

"Já se comprovou que os animais podem prever terremotos, mas se observa que os seres humanos não ligam muito para esse fato".
Na verdade, o histórico de catástrofes anunciadas pelos animais é extensa e frequente, vem desde a Antiguidade até nossos dias. Vista por uns como coincidência, por outros como instinto animal, e explicado de várias maneiras pela ciência, de toda maneira um fato é certo: o animal, além de saber o que vai acontecer, sabe quando e dá o aviso com antecedência. Horas antes de um terremoto, os cães começam a andar de um lado para o outro, ficam inquietos e latem para o vazio. Em alguns casos, tentam fugir do lugar.
Pesquisadores estudam as possíveis explicações que levam os cães a essa percepção. Já existem algumas respostas: a mais provável é explicada pelo tato, pois esse é um dos sentidos mais difíceis de estudar em cães e gatos, mas eles podem “sentir” o tremor antes. A segunda, a audição, já que o tremor de terra emite sons crescentes, e o cão consegue ouvir o menor deles muito antes de nós. A terceira, pelo olfato, pois um tremor de terra pode causar alterações na atmosfera e eliminar odor.
Analistas sismológicos descobriram que muitos animais se comportam de maneira estranha antes de um terremoto. Por exemplo, os animais que estão hibernando despertam e fogem de suas casas, enquanto os animais aquáticos pulam da superfície da água.

pet

Pela vibração e pelas mudanças na pressão do ar atmosférico, os bichinhos foram alertados a migrar para outros lugares onde se sentiam mais seguros. Há muitos relatos em que aves e animais migram antes de terremotos e erupções vulcânicas.
No grande terremoto de Lisboa em 1755, o filósofo alemão Immanuel Kant observou que uma multidão de minhocas foi vista sair do subsolo perto de Cadiz, ao Sul da Espanha, oito dias antes do desastre atingir a cidade portuguesa.

Em 25 de junho de 1966, os moradores da cidade de Parkfield, na Califórnia, Estados Unidos, foram invadidos por cobras cascavéis. Eles não entendiam por que os répteis fugiram das colinas. A resposta chegou dois dias depois quando a área foi atingida por um terremoto.

Na noite anterior ao terremoto de Sylmar, em 9 de fevereiro de 1971, diversas patrulhas policiais presenciaram um grande número de ratos correndo pelas ruas de San Fernando, na Califórnia, Estados Unidos. A polícia também recebeu numerosas reclamações de cachorros latindo e uivando durante várias horas antes que o terremoto acontecesse às 6h01min.

pet

pet

Em 22 de fevereiro de 1999, pequenos antílopes fugiram da região montanhosa austríaca do Tyrol para os vales, algo que eles não costumavam fazer. No dia seguinte, uma avalanche devastou a vila austríaca de Galtur no Tyrol, matando dezenas de pessoas.

Em 28 de fevereiro de 2001, um grupo numeroso de gatos se escondeu sem motivo aparente 12 horas antes de um terremoto (que chegou a 6.8 na escala Richter) atingir a área de Seattle. Uma ou duas horas antes, outros animais se comportaram de forma ansiosa ou “enlouquecida”, enquanto alguns cães latiram desesperados antes do terremoto chegar. Até mesmo cabritos e outros animais demonstraram sinais de que o temor aconteceria.

Com mais de 5 mil animais, o zôo de Cantão tem vários pontos de observação de pavões reais, rãs, serpentes, tartarugas, cervos e esquilos. Os pesquisadores registram as suas reações e informam ao departamento sismológico municipal.
Os roedores e as serpentes, por exemplo, não deixam seus abrigos durante o dia, mas, quando perto de acontecer um terremoto, fogem o mais rápido possível.
Milhares de sapos atravessaram uma ponte em Taizhou, uma cidade da província de Jiansu, dois dias antes de ocorrer o tremor. Taizhou, norte de Xangai, está longe do epicentro do terremoto, na província de Sichuan, mas o fenômeno se repetiu em áreas mais próximas ao desastre.
Outros animais, como girafas e hipopótamos, também são muito sensíveis aos desastres naturais.
O “sexto sentido” de alguns animais é mais aguçado que o dos humanos.
Um exemplo perfeito do “sexto sentido” dos animais vem a seguir:
Desde que foi adotado (quando ainda filhote), Oscar, o gato, tem tido a habilidade bizarra de prever quando os moradores da Steere House Nursing and Rehabilitation (Providence, Rhode Island) estão para morrer. Ele vai e fica deitado na cama da pessoa que vai morrer até a sua morte, logo depois sai e continua sua ronda pelo terceiro andar do local. Ele já previu mais de 25 mortes, e sua previsão é tão boa que logo que ele entra no quarto de uma pessoa e se deita na cama dela as enfermeiras já chamam os familiares.
Para fecharmos esta coluna com chave de ouro, resta a nós, amantes dos bichos, sensibilidade e atenção para entender as reações dos animais ao nosso redor e, assim, termos a possibilidade de prevenir alguns desastres da natureza, além de salvar muitas vidas.

renata@scarpa.com.br

 

 
UNITYOU
 
pet

enviar