pet
pet

VERÃO

Por Renata Scarpa
Fotos Divulgação

Estamos começando o verão e junto com ele as festas, as férias e, mais do que tudo, o calor.
Cães e gatos possuem a pelagem que piora a sensação de calor e apresentam a temperatura corpórea maior do que a humana (variando entre 38,5 a 39,5º), além disto, não possuem glândulas sudoríparas responsáveis pela sudorese, que faz com que a temperatura do organismo diminua. Perdem calor pela língua e pelos coxins, por conta disto, os animais ficam ofegantes, de boca aberta, fazendo com que o ar frio entre e resfrie seu corpo.

pet

Apesar de resistentes, sobretudo os mais peludos, os cães tendem a sofrer bastante com o calor quando expostos a altas temperaturas, ou a estresse e atividades intensas em dias muito quentes, sua temperatura interna pode ultrapassar os 40ºC e o cachorro pode apresentar hipertermia, caracterizada pelo aumento excessivo da temperatura corporal, que pode causar convulsões, edema pulmonar, parada cardíaca e até a morte.

Melhor do que saber tratar é conhecer os procedimentos para evitar que essa situação aconteça. Então, evite passeios e esforços físicos em dias quentes e úmidos. No carro, não deixe o animal em seu interior com o veículo parado, mesmo com os vidros abertos. Qualquer ambiente fechado deve ser evitado, mesmo estando em casa, devendo haver sempre sombra e água fresca disponível. Ao dar banho, não use secadores e água quente. Evite que o animal fique ofegante, não o submetendo a situações de estresse provocados por medo ou insegurança. Se o animal está obeso, comece uma dieta imediatamente e redobre os cuidados nos quesitos que estão relacionados a este tópico. Focinheiras não devem ser usadas, pois impedem o funcionamento correto da função respiratória

Os cães e gatos geriátricos tendem a se tornar mais suscetíveis. Outros que estarão em uma condição de risco incluem as raças de nariz curto (braquiocefálicos), como o buldogue e o pug, os gatos persas, além dos animais com excesso de peso, com problemas cardíacos ou respiratórios.

pet

pet

Uma coisa fundamental é deixar sempre água fresca para o seu pet em locais com sombra. Durante o dia, troque essa água várias vezes para que o animal possa sempre se refrescar.
Atenção para a higienização correta das dobras dos cães enrugados, pois a água deixa a pele úmida, podendo causar dermatites das dobras, isto serve para os que gostam de piscina e/ou mar, e também para aqueles que molham a cara ou as patas toda vez que vão tomar água.

O protetor solar não deve ser esquecido, cães cujos pêlos foram recentemente cortados muito curtos, cães de cor muito clara e para aqueles que têm a pele rosada, os quais podem se tornar vítimas de queimaduras do sol.
Os cães costumam trocar a pelagem em todas as mudanças de estação, sendo a queda mais acentuada na época de calor intenso, se achar necessário, consulte seu veterinário, pois ele pode indicar alguma vitamina.

Você já experimentou andar descalço no asfalto em pleno meio dia de um sol escaldante? É como pisar em brasa, não? Tanto para os cães quanto para os gatos, a sensação é semelhante, já que as patas de ambos são protegidas por uma espécie de almofada que possui uma pele grossa, mas não o suficiente para evitar queimaduras na região, assim, se o calçado estiver quente, o animal poderá sofrer de queimaduras.
Se nós já estamos sofrendo com este calor, às vezes, insuportável, imagine o seu pet como se sente, heim??

renata@scarpa.com.br

 
UNITYOU
 
pet

enviar