pet
pet

CÃES SÃO O REFLEXO DO DONO

Por Renata Scarpa
Fotos Divulgação

Quando falamos que os cães são o reflexo do dono, logo vem à cabeça de alguns as fotos de pessoas com seus animais de estimação e as semelhanças que vemos entre eles, mas a questão que vou abordar aqui é sobre as coisas que seu pet vai aprender com você, e, observando-se o comportamento deles, é fácil perceber que algumas reações e até doenças desenvolvidas podem indicar reflexos das influências dos donos.
O temperamento de um cão de qualquer raça, primeiramente, é comportamento herdado (instinto), com as mudanças por desenvolvimento desse comportamento (amadurecimento) em suas vidas, aliados ao meio (habitat) e ao treinamento apropriado, é formado o seu caráter.

Os animais de estimação desenvolvem comportamentos e sentimentos iguais aos de seus donos. Se há tensão na casa, o cachorro fica tenso, se há medo, ele fica com receio, e da mesma forma com sentimentos positivos. Mas ele não nasce sabendo isso, ele aprende na sua casa, e é claro que isso acaba formando o comportamento do animal. Cães bem treinados são, na maioria das vezes, reflexo de um dono organizado, feliz e responsável, já um cão com problemas comportamentais pode denotar um proprietário ansioso, impaciente e insatisfeito.
Gostemos ou não, as pessoas que encontram nossos companheiros caninos fazem suas próprias avaliações sobre nossa personalidade baseadas em como nossos cães se parecem, agem, e se comportam. Cesar Millan diz que os animais se comunicam pela energia e que podem, de certa maneira, ser reflexos do estado de espírito de uma pessoa. Por isso, quando vai à casa de uma pessoa, ele sabe que ela vai contar uma história, que pode ser real ou não, mas o cachorro vai contar a verdade.

pet

Segundo ele, no ambiente natural, animais não desenvolvem problemas comportamentais. Não se veem elefantes neuróticos. Isso também se aplica aos lobos, aos cães selvagens das savanas africanas e até aos cachorros de rua: eles podem ser magros e sarnentos, mas não têm distúrbios psicológicos. Os cães tornaram-se problemáticos, porque seus donos, em geral, não suprem sua necessidade de disciplina, exercícios regulares e desafios mentais.
Pequenas atitudes no dia a dia que passam despercebidas podem ser muito nocivas à saúde mental do pet, causando vários problemas, entre eles a obesidade, a ansiedade de separação e, principalmente, a agressividade. Estudos mostram que o atual padrão de vida da sociedade tem aumentado a incidência da obesidade e de doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, no homem dito moderno. Mas não apenas nele, o sedentarismo e suas consequências têm afetado também os animais de estimação. Enquanto seus donos ficam prostrados à frente do computador ou da tevê, os bichinhos ficam comendo e ganhando peso: o resultado é sobrepeso e riscos à saúde.

Outro problema que afeta grande parte dos cães é a ansiedade de separação, e já está provado que a maioria deles pertence a pessoas ansiosas. Animais com esse distúrbio não conseguem ficar longe do dono, a ausência leva a latidos sofridos e choros, e alguns cães tornam-se apáticos e prostrados, deixando de se alimentar e, às vezes, de se movimentarem até o seu retorno.
Alguns lambem excessivamente as patas, assim como, alguns donos roem as unhas. Muitas pessoas deixam até de sair de casa para evitar todo esse sofrimento, e não se dão conta que os cães não precisam da companhia específica de um humano, podem suprir esta carência com outro animal.
Existe um provérbio que diz: “Se o homem tem o seu lado animal, o animal tem o seu lado humano”, e agora vamos falar de um grande problema, a agressividade. A culpa é do dono ou do animal? O dono é responsável pela atitude do animal e não o contrário. Nenhuma raça de cão nasce com instinto de atacar o homem.
A natureza não produz animais maus, eles não atacam por prazer, e sim quando se sentem ameaçados, em seu meio natural, lutam pela sobrevivência e os da mesma espécie são até solidários uns com os outros, mas existem muitas pessoas que gostam de ver seu cachorrinho virar uma fera, fazem de tudo para que o animal passe raiva e acabe ficando estressado e daí acaba atacando qualquer pessoa pensando estar diante de seu dono, que talvez seja um animal pior que ele.

Os proprietários devem ser responsabilizados pelo comportamento dos seus animais, pois as condutas e adestramentos absolutamente inadequados que esses proprietários aplicam a esses animais é que os tornam violentos e agressivos. Um cão adestrado é uma companhia muito agradável. Um animal bem tratado não pode receber punição violenta e necessita ter uma vida ativa, jamais estressante ou depressiva. A ferocidade incontrolável é fruto do despreparo no manejo e, até, da intenção do dono em fazer do animal uma arma.
O animal tem muita energia para ser gasta, precisam que o dia seja dividido da seguinte forma: 70% do tempo de atividade física, 20% de disciplina e 10% de carinho, com isto, alguns transtornos, como a agitação e a agressividade, podem desaparecer.

renata@scarpa.com.br

 
UNITYOU
 
 

enviar