pet
pet


PET EXÓTICOS

Por Renata Scarpa
Fotos: Regina Motta – www.fotopatas.com.br

O ser humano parece ter muita afinidade com animais e vive uma história de amor com seus pets. Algumas pessoas amam cuidar dos seus cachorrinhos, gatinhos, cavalinhos, peixinhos... e outras gostam de aves, tartarugas, hamsters, iguanas, cobras, escorpiões e até aranhas…
O interesse em criar esses animais é exatamente por sua excentricidade de cores, hábitos, instintos, conduta, etc. Para alguns, torna-se uma maneira de manter contato direto com a natureza e ver como ela é de perto, para outros, isto não passa de um modo de chamar a atenção.
O que pode parece muito assustador para uns é denominado exótico e sedutor para outros, mas o que se tem certeza é que essa relação pode dar certo, pois existem muitos proprietários que não trocam seus bichinhos diferentes por nenhum outro.
Se você estiver realmente empenhado em adquirir um animal exótico ou silvestre, pesquise qual espécie se adapta melhor ao seu ritmo de vida e que suprirá as suas expectativas. Informe-se sobre os hábitos e comportamento, sempre procurando estabelecimentos com licença fornecida pelo Ibama, lembrando que é essencial combater a ilegalidade e garantir que seu pet seja sadio.

Animais exóticos estão na lista dos desejos de muitas crianças que não se contentam em ter cães e gatos como animais de estimação. Atenção antes de presentear seu filho com esses bichinhos. Além do desejo da criança muitas vezes estar associado a uma moda momentânea, os animais se assustam fácil com reações muito exacerbadas, além de muitos pets exóticos não lidarem muito bem com abraços muito calorosos ou beijinhos diários.

jiboia

iguana

Embora o fascínio por cobras e lagartos seja grande e tenha muitos adeptos, as aves continuam sendo os bichos de estimação preferidos e mais procurados, principalmente por oferecer uma melhor oportunidade de convivência e interação com pessoas de todas as idades.
Entre os animais considerados exóticos, os répteis, como a iguana, o teiú (espécie de lagarto), o tigre d’água (um cágado que é um animal semiaquático) e o cágado de barbicha sempre fizeram sucesso, apesar de não interagirem sempre com o dono.
Entre os mamíferos, quatis e saguis ganham a preferência. Além de bagunceiros, são extremamente espertos, ligeiros e brincalhões. Enquanto filhotes, são dóceis e precisam do contato humano para que esse comportamento continue o mesmo na idade adulta.

Os roedores também fazem a cabeça da garotada. Nesse grupo estão os hamsters, os porquinhos da Índia, as chinchilas e os camundongos. São animais fáceis de cuidar, lembrando que procriam muito e rapidamente.
No Reino Unido, os miniporquinhos são os pets mais disputados. Eles nascem do tamanho de uma caneca de chá, pesando, aproximadamente, 250g. Quando adultos, os porquinhos medem no máximo 40cm e pesam até 30kg, enquanto um porco comum chega a pesar mais de 400kg. São considerados ótimos pets, se adaptam bem ao ambiente doméstico e a outros animais.

porquinho da india

Um alerta sobre as implicações negativas do hobby “pet exótico” é a grande probabilidade de abandono do animal pelo proprietário frustrado pelo comportamento diferente do seu pet ou por aquele dono que não dá conta de todos os cuidados necessários. Caso não possa mais manter seu animal exótico, nunca o solte na natureza – isso também é crime, pois esse animal pode pegar o lugar de outros que já estavam lá, ou, acostumado a uma dieta diferenciada e abrigo contra alterações climáticas, pode morrer sem cuidados.

coruja

filhote

ave

Curiosidade: Costumamos denominar como EXÓTICO todo o pet que não pertença à fauna do Brasil. Estes sim chamamos de SILVESTRES. Como tudo o que é “diferente” chamamos exótico, vale lembrar que, tecnicamente falando, essa nomenclatura nem sempre estará certa. Resumindo: não é doméstico e pertence ao Brasil? Você estará frente a um animal SILVESTRE. Se esse bichano for de outro país, deve ser chamado de EXÓTICO.

Os 10 animais de estimação mais bizarros:

Hipopótamo: Jéssica, de ¾ de tonelada, foi arrastada para o seu quintal durante uma enchente, Tonie Joubert e sua esposa cuidaram do animal até que ela voltasse a ficar saudável e tentaram devolvê-la à natureza – sem sucesso, é claro.

Capivara: Caplin Rous segue sua dona pela casa. Como qualquer gato ou cachorro doméstico, sabe bem a hora que sua dona chega e espera, pacientemente, na porta.

Cabra: Anspeçada William Windsor, ou simplesmente Billy, passou nove anos junto ao exército da Escócia. Anspeçada é uma graduação militar em desuso no Brasil que ficava entre o Soldado e o Cabo-de-esquadra.

Tartaruga de duas cabeças: Raríssima, é cuidada por Sean Casey em seu abrigo para animais em Nova York, Estados Unidos.

Esquilo: Depois de encontrar o filhote sozinho em uma árvore, sua dona começou a levá-lo a compromissos sociais e ele se tornou praticamente parte da família.

Lhama: Dimitry Nikolau tem, há mais de dez anos, uma lhama em seu apartamento em Moscou, Rússia.

Ovelha: Nick Boing se recusa a viver com outras de sua espécie, e vive apenas com a sua amorosa família – de humanos, é claro.

Pinguim: Nils Olav é membro honorário e mascote da Guarda Real da Noruega desde 1972.

Girafas: Durante o café da manhã, diariamente, uma das oito girafas de estimação da família entram pela janela para compartilhar a refeição.

Égua: Misha vive há anos em uma cabana, com uma família humana, no estado de Ohio, nos EUA.

renata@scarpa.com.br

 

 
UNITYOU
 
pet

enviar