speed  

 

O FUTURO É AGORA
Por Luciana Mattiussi

Mesmo os mais incrédulos não têm como negar. O século XXI já chegou de fato na indústria automobilística. Se houver alguma dúvida, basta observar mais atentamente uma parte dos carros que circulam pelas ruas. Tudo bem que no Brasil a grande maioria ainda não conta com muitas tecnologias. Mas, em meio aos populares, é possível encontrar veículos com sensores de combustível, computadores de bordo e equipamentos para diversão como DVD. Na Europa, Japão e Estados Unidos, estas super máquinas são em número infinitamente maior.

A boa notícia é que, mesmo por aqui, estas inovações não são excluvidade dos carros de luxo. Hoje, versões mais completas de veículos como o Fox e o Palio já contam com os chamados sistemas inteligentes. Alguns deles são o computador de bordo – onde o motorista pode conferir informações como a distância percorrida, a temperatura externa, o tempo de viagem, o consumo de combustível  e a autonomia do veículo – e o Follow me Home. Quando o motorista pára o carro num lugar escuro, ele pode usar este recurso para clarear o ambiente enquanto abre a porta.

 O sistema  My Car, por sua vez, ajusta as funções alerta de velocidade, acendimento dos faróis e informações de manutenção. Para habilitá-las, o condutor usa três botões posicionados ao lado do volante. Para quem tem um desses modelos, prender os dedos na janela também é coisa do passado. Um sensor colocado nos vidros interrompe o fechamento deles quando alguém colocar as mãos ou algum objeto no vão.  

 Ainda não podemos esquecer dos carros com motores flex, que aceitam tanto gasolina como álcool. Eles vêm com uma sonda que reconhece o combustível que está sendo utilizado e envia as informações para o propulsor, para que suas configurações sejam modificadas de acordo com a mistura utilizada. Outro item já comum nos carros brasileiros são os comandos do rádio posicionados no direção. Ou seja, se o motorista quiser acionar o som, abaixar ou aumentar o volume ou trocar de estação, ele não precisa tirar a mão do volante.

 Não há como negar, porém, que os modelos mais caros são mesmo os melhores equipados. Se no Citröen C3 o motorista comanda o rádio pelo volante, no Jaguar S-Type ele faz isso pela voz. Outros confortos oferecidos pelos carrões são bancos do condutor com massageadores para aliviar a tensão (presentes no BMW Série 7 e no Mercedes Classe S) e climatização individual. Traduzindo, o sistema permite que cada ocupante escolha sua temperatura dentro do veículo. Este mimo também vem no Classe S.

 Na questão da segurança, as novas tecnologias foram desenvolvidas para ser uma extensão do cerébro do motorista. Se ele não pensa direito, não tem problema. Pois elas estão ali para consertar o erro. “No sistema drive by wire, os comandos do motoristas não são transmitidos diretamente aos mecanismos do veículo mas são analisados por um computador e então este irá comandar as ações do veículo. Este sistema evita, por exemplo, que o motorista coloque o carro numa situação de instabilidade”, comenta o professor EPUSP – PME, Marcelo A.L. Alves.

O assessor técnico da Volvo Automóveis, Leandro Oliveira, dá outros exemplos de sistemas que “pensam” pelo motorista.”O Driver Alert conta com sensores que monitoram se o condutor está muito cansado para dirigir. Se perceber que o motorista está sonolento, o sistema emite alertas para despertá-lo. Há também o Volvo Alcoguard, que monitora o estado alcoólico do motorista. Caso ele esteja bêbado, o carro não funciona”, conta. O Driver Alert e o Volvo Alcoguard estarão disponível a partir do ano que vem nos modelos S80, V70 e XC70.

Também no quesito segurança, o professor da USP ressalta as atuais tecnologias que previnem acidentem. “Hoje, existem sistemas que acionam os freios quando o veículo se aproxima perigosamente de um obstáculo ou da traseira de outro veículo. O carro é desacelerado e mantém uma distância segura do que está na frente, mesmo que o condutor insista em manter o pedal do acelerador pressionado no máximo”, diz. 

 “ A tendência é que haja uma integração dos sistemas de segurança dos veículos, fazendo-os "conversarem" entre sí e anteciparem seu funcionamento para melhorar ainda mais sua performance. Esta "rede" de sistemas, monitorando constantemente o veículo no tráfego, se tornará realidade em muito pouco tempo”, completa Carlo Gibran - gerente de marketing da unidade de Sistemas de Chassis da Robert Bosch.

Quando o assunto é motorização, os avanços também são tratados como prioridade. E não apenas para melhorar a performance. “A evolução do motor está diretamente relacionada à questão do meio-ambiente, por isso, atualmente existem os híbridos e os flex. Estas tecnologias permitem um desempenho melhor com menor emissão de poluentes no ar. Em algum tempo, veremos mais carros equipados com motores inteiramente elétricos ou híbridos com baterias de íon-lítio. Elas oferecem mais energia e são menos pesadas. Células de combustível também são um solução com bastante potencial, mas irá demorar mais para chegar de fato ao mercado”, explica Hau Thai-Tang, diretor de desenvolvimento de produto da Ford da América do Sul.

Os motores híbridos já são uma realidade. Prova disto é o sucesso do Toyota Prius, principalmente, no mercado americano. Entre os entusiatas do modelo, está o ator Leonardo di Caprio – conhecido também por sua luta pela preservação do meio-ambiente. Um estudo recente do National Renewable Energy Laboratory mostra que, desde que os híbridos começaram a circular em 199, aproximadamente de 215 milhões de galões de combustível deixaram de ser utilizados nos EUA. Para 2009, a GM e a Toyota prometem o híbrido plug-in, que pode ser recarregado na tomada de casa.

Linha do Tempo

1908 – O Ford T foi o primeiro carro do mundo ser fabricado em série.  Em 1915, ele passou a ser produzido exclusivamente na cor preta, porque ficava mais barato. O T saiu de linha em 1927.

ford

1930 – Paul V. Gavin inventou o primeiro rádio para carro, o Motorolla 5T71. Os testes foram feitos em seu prórpio Studebaker. Não demorou para a invenção se popularizar e passar a equipar boa parte dos veículos nos EUA.

stubaker

1948 – O Porsche 356 foi o primeiro veículo da história a ser construído com carroceria monobloco de alumínio, o que o torna mais leve. O modelo foi aposentado em 1965.

porche

1959 – A Volvo foi a primeira montadora a equipar seus modelos com cintos de segurança de três pontos, que são utilizados até hoje. Oito anos depois, a fabricante lançou o cinto retrátil.

volvo

1978 – Os freios ABS tornam-se item de série nos carros. A Mercedes-Benz, em parceria com a Bosch, foi a pioneira. Hoje, 100% dos veículos na Europa possuem o sistema.

mercedes

1987 – O Honda Legend é o primeiro carro japonês a contar com air bags para o motorista e passageiro da frente, como equipamento opcional. No mesmo ano, o Porsche 944 Turbo se tornou o primeiro modelo mundial a ter a proteção como item de série.

honda legend

1998 – A italiana Maserati lança o 3200 GT, o primeiro veículo do mundo a ter lâmpadas LED’s nos faróis. Com o lançamento do R8 neste ano, a Audi é a primeira marca a utilizar este sistema de iluminação em todos os faróis.

maseratti

2008 – Os modelos S80, V70 e XC70 da Volvo terão os sistemas Driver Alert – que desperta o motorista sonolento – e Volvo Alcoguard. Este último reconhece se o condutor está bebâdo.

volvo xc70

2009 – GM e Toyota prometem o motor híbrido plug-in, que pode ser recarregado na tomada de casa.

senso

 

 
 
enviar